Quem sou eu

Foto: Kau Muniz

Foto: Karina Muniz

Soteropolitana, ariana, 36 carnavais. Jornalista, Mestre em Cultura e Sociedade, graduanda em Gastronomia, cozinheira de araque.

Quem saber mais? Então senta que lá vem história!

Muito antes de eu ganhar intimidade com a escrita ou com as panelas, essa dupla de temperos que dá nome ao blog já fazia parte do meu vocabulário, de tanto ouvi-la na cozinha onde minha mãe fazia comida com o rádio sintonizado na AM.

Só pra você entender que tamanho eu tinha, fazia companhia a ela sentada dentro de uma das cubas da pia dupla de inox. E aos meus ouvidos de menina aquele nome soava como um só: era “pimenticuminho”, com som de “u” no lugar do “o” e aquele “nh” quase inexistente do baianês.

É claro que depois aprendi que pimenta era uma coisa, cominho era outra. E já bem grandinha descobri também que comer e escrever eram dois prazeres s dos quais eu não queria me apartar jamais.

Eles começaram a andar juntos em 2008, quando passei a ser repórter do jornal A Tarde e dei meus primeiros passos no jornalismo gastronômico, na extinta coluna Comes & Bebes, numa deliciosa parceria com Liana Rocha. Vale dizer que nós duas tínhamos uma responsabilidade e tanto, afinal de contas, aquele espaço carregava a marca de sua fundadora, a querida Helô Sampaio.

Ali eu ainda era movida sobretudo pela curiosidade e pela intuição. E pelo dead line, claro! Em 2009 – ou seja, oito anos depois da graduação em Jornalismo –, lá estava eu ingressando na Ufba novamente, desta vez no recém-criado bacharelado em Gastronomia.

Além de curiosidade, intuição e prazo, meu trabalho ganhou uma pitada a mais de conhecimento. Com um toque ainda mais pessoal, esses ingredientes também passaram a dar gosto ao Pimenta e Cominho, inaugurado junto com a Primavera de 2010.

Mas nem tudo eram flores. A correria do dia a dia me impediu de dar à minha própria cozinha a atenção e o carinho que ela merecia. Assim como atravancou a graduação em Gastonomia, que só agora se encaminha para o final. É que no meio do caminho, em 2012, ainda surgiu um curso de mestrado, que tal? E então fez-se um grande hiato.

Mas acredito mesmo que tudo, tudo tem seu tempo. E é assim, tranquila, calma e serena, que reabro minha cozinha em 2016, deixando as coisas acontecerem ao sabor dos ventos desse outono que se aproxima.

Receba as novidades

Curta no Facebook

Curta no Instagram

Vamos ouvir uma musiquinha?